Dez inventores negros que talvez você não conheça

Durante muitos séculos vários inventores descendentes de africanos têm contribuído para os campos da ciência, mecânica, negócios e lazer, mas ainda não são ensinados na escolas brasileiras e em muitos países da América Latina e África. 
Um exemplo? Você sabia que a batata-frita foi inventada pelo africano-americano George Crum, chef de cozinha em 1853? Ou que o inventor Philip Downing patenteou a caixa de correios em 1881? 

Invenções criadas por estas e outras pessoas de origem africana estão ao seu redor em todos os lugares e em todos os dias, mas por serem negr@s foram omitidos dos livros de ciência. 
Leia mais e descubra o que estas pessoas fizeram.


Lewis Latimer (1848 - 1928)

Invenção: Filamento de carbono para lâmpadas incandescentes.

Depois de servir na Marinha dos Estados Unidos, Lewis Latimer começou a trabalhar para o escritório de advocacia de patentes. Durante seu trabalho no escritório ele foi promovido de office-boy para o setor interno quando seu chefe reconheceu o seu talento para esboçar desenhos para as patentes. Em 1874, ele co-patenteou um sistema higiênico aperfeiçoado para vagões ferroviários chamados de Closet. O inventor branco Alexander Graham Bell utilizou os serviços de Latimer, ainda jovem, para criar os esboços do projeto para sua mais nova invenção: o telefone. Latimer mais tarde passou a trabalhar para um rival inventor, o também famoso Thomas Edison e recebeu uma patente para o “Processo para fabricação de filamentos de carbono”, um método melhorado para a produção de filamentos de carbono para as lâmpadas incandescentes. Esta patente levou Latimer a trabalhar na companhia de energia e luz Edison Electric como relator e especialista em patentes.

George Washington Carver (1864 - 1943)

Invenção: Manteiga de amendoim e o índigo para o jeans

George Washington Carver nasceu trabalhador forçado no Missouri, Estados Unidos. Ele foi inabalável na busca de aprendizado e educação para si. Finalmente se formou na faculdade, quando tinha 30 anos. Carver pesquisou e promoveu alternativas agrícolas para o cultivo de algodão, bem como o amendoim e batata-doce. Descobriu mais de 300 utilizações para o amendoim e centenas de outras para soja, nozes e batata-doce, noz pecã, incluindo a manteiga de amendoim, papel, tinta e óleos. Ele trabalhou como professor agronomia no instituto Tuskegee, uma faculdade negra no Alabama, EUA e ficou mundialmente famoso.

Dr. Daniel Hale Williams (1856 - 1931)

Invenção: O primeiro cardiologista a realizar uma operação de peito aberto com sucesso

O filho de um barbeiro da Pensilvânia, Daniel Hale Williams encontrou sua vocação quando deixou de ser aprendiz de sapateiro para aprender medicina. Ele se formou na Escola de Medicina de Chicago em 1883, e foi um dos apenas quatro médicos afro-descendentes de Chicago. Em um esforço para combater o racismo institucionalizado que mantinha descendentes de africanos longe das escolas de enfermagem, medicina e na área de atuação, Dr. Williams fundou o primeiro hospital americano afro-americano bem como o primeiro curso de enfermagem direcionado para essa etnia. Foi, também, ele o primeiro cirurgião a realizar com sucesso uma operação cardíaca com o tórax aberto com resultado positivo. O paciente em questão havia sofrido um golpe de punhal no peito. Após isso se recuperou e viveu por mais 20 anos.

Madame C. J. Walker (1867 - 1919)

Invenção: Loção de crescimento capilar

Nascida Sarah Breedlove em Delta, Louisiana, Walker superou uma infância de escravidão e abuso. Fundou a C.J. Walker Manufacturing Company. Na época não era comum encontrar produtos para o tratamento de doenças do couro cabeludo. Muito comum, pois não existia água encanada e produtos de lavagem (xampu). Foi isso que levou Walker a criar seu próprio produto e perfume. Ela partiu para o corpo-a-corpo. Ia de porta em porta oferecendo sua mercadoria. Teve êxito. Após isso, fundou também uma escola de beleza para mulheres para o tratamento do cabelo afro. Tornou-se a primeira mulher afrodescendente milionária da América.

Lonnie G. Johnson (1949 –)


Invenção: O SuperSoaker (pistola d´água)

Engenheiro e inventor Lonnie G. Johnson fundou sua própria firma de engenharia que acabou sendo comprada pela Hasbro. O SuperSoaker foi o brinquedo mais vendido entre 1991 e 1992 e gerou mais de U$ 200 milhões em vendas no varejo. Além de seu sucesso como um inventor de brinquedos, Johnson também trabalhou para o desenvolvimento de novas tecnologias energéticas, incluindo novos tipos de baterias recarregáveis, usinas de energia solar e geradores de energia térmica oceânica.

Sarah E. Goode (1850 - 1905)

Invenção: Cama dobrável

Sarah E. Goode foi a primeira mulher afrodescendente a ter uma patente concedida pelo USPTO o escritório estadunidense de patentes, por sua invenção de uma cama dobrável, em 14 de julho de 1885. Liberta ao final da guerra civil americana, Goode se mudou para Chicago e tornou-se uma empresária, dona de uma loja de móveis. Seus clientes muitas vezes queixavam-se que não tinham muito espaço para as camas em seus apartamentos, e assim, com essa idéia Goodie criou um projeto do que hoje conhecemos como cama-dobrável.

Elijah McCoy (1844 - 1929)

Invenção: Lubrificante do motor a vapor

Elijah McCoy nasceu no Canadá. Estudou e formou-se engenheiro e adquiriu 57 patentes nos Estados Unidos. McCoy é mais famoso por inventar um lubrificador automático para locomotivas e motores a vapor – como os trens – e permitiu assim que esses trabalhassem mais rápido. Elijah McCoy é o homem por trás da frase “O verdadeiro McCoy”. Contam que os técnicos que trabalhavam na manutenção dos trens sempre perguntavam aos vendedores se o dispositivo era o “McCoy real” ou uma cópia fajuta.

Garrett Augustus Morgan (1877 - 1963)

Invenção: Máscara de gás e semáforo

Foi um inventor afroamericano que inventou um tipo de capa de proteção respiratória (que originou a atual máscara de gás), além de ter o mérito de ter inventado o semáforo e a preparação do alisamento de cabelo. É famoso por ter salvo vários trabalhadores presos em um sistema de túneis numa caverna cheia de fumaça.

Morgan produziu um capuz de segurança protetor de fumaça após conhecer a Triangle Shirtwaist Factory fire. Ele foi capaz de vender seus produtos por todo o país, e para isso, contava com a ajuda de seu amigo branco que de vez em quando levava o crédito, a fim de obter sucesso nas vendas. Quando mostrou isso para os outros, ele se tornou um Big CHief Manson, um índio puro-sangue de uma reserva indígena do Canadá, devido ao racismo da época. Sua invenção tornou-se conhecida internacionalmente quando ele e três homens a usaram para salvar duas pessoas numa explosão de um túnel do lago Erie em 1916. Morgan foi premiado com a Medalha de Ouro por Bravura dos cidadãos proeminentes de Cleveland, embora sua nomeação para o prêmio Carnegie tenha sido negada, em grande parte por ser negro. Os esforços de Morgan e seus adeptos para corrigir essa injustiça não foram bem sucedidos. No entanto, Morgan ganhou medalhas de ouro por bravura pela International Association of Fire Chiefs.
Os primeiros automóveis estadunidenses foram introduzidos antes da virada do século 20. Peões, bicicletas, carroças puxadas por animais e todos os tipos de veículos a motor trafegavam pelas mesmas estradas. Entre 1913 e 1921, muitas versões de sinais de trânsito foram instaladas em todo território dos Estados Unidos. Em 1923, Garrett impediu o tráfego de todos os sentidos da rodovia para permitir aos pedestres atravessar a rua com mais segurança.  Patenteou sua própria versão do sinal de trânsito e vendeu sua patente para a General Electric.

Tradução: Prof. Ms. em História pela USP Carlos Eduardo Dias Machado

Estes e dezenas de outros inventores estão no livro Ciência Tecnologia e Inovação Africana e Afrodescendente (no prelo)

Em janeiro de 13 a 17 haverá o 1º curso do Brasil sobre este tema:


Na Universidade São Judas em São Paulo, SP, Brasil.



Inscrições abertas!



Postar um comentário

Postagens mais visitadas